Painéis Online

FAQ e Mitos sobre a pesquisa Online

Pensamos nas dúvidas e barreiras de se fazer pesquisas online e nas soluções que podemos oferecer para assegurar qualidade...

FAQ

1 - De que universo estamos falando? É representativo?

Estamos falando do universo de internautas do Brasil, 50% da população brasileira em 2014, ainda em crescimento acentuado.

Pretendemos que o CONECTAí seja representativo deste universo.Já estamos controlando o perfil dos painelistas! Portanto, amostras estratificadas por cotas são possíveis assim como utilizar processos de ponderação quando necessário.

Se você precisa representar toda a população Brasileira, outros métodos deverão ser utilizados, além ou em conjunto com o online.

2 - Como saber se a amostra representa o target que precisamos? Existe a possibilidade de representar sub-universos?

Sim, podemos fazer pesquisas generalistas (amostras de internautas) e podemos fazer pesquisas específicas, com sub-amostras compostas por inúmeras variáveis de perfil: demográficas, financeiras, de consumo de produtos ou serviços, educacional, de atividade, atitudinal, etc.
A maioria dos perfis de consumidores está presente na internet.

Por exemplo: comunidades específicas como médicos ou executivos ou frequentadores de hipermercados, usuários de cartão de crédito ou de smartphones, ou ainda pessoas com pós graduação que viajaram para o exterior nos últimos 6 meses...

Como sabemos esses perfis? Através dos diferentes questionários de recrutamento (sempre podemos incluir uma variável) e dos controles da amostra

E se não tiver painelistas suficientes para um determinado projeto? Podemos procurar em outros painés (coopetitors), usar listas ou fazer um recrutamento especial

3 - Como saber se o painelista é quem diz ser? Como saber se o respondente é mesmo aquela pessoa que queremos pesquisar?

Esta é a vantagem de um “painel” sobre as outras metodologias.

  • Além da participação ser voluntária, há controles no ato de registro (inclusive nome, endereço, CEP e CPF), consistências de perfil e consistências nas pesquisas:
    • consistências entre o perfil e as respostas, consistências das próprias respostas numa determinada pesquisa e consistências entre pesquisas
  • Para isso, é fundamental que os questionários sejam bem elaborados, que contenham filtros cegos e perguntas de confirmação

4 - Porque pessoas participam do painel?

  • Para dar a minha opinião e expressar o que penso
  • Para saber o que as outras pessoas pensam
  • Para fazer parte de um grupo interessante
  • Para ganhar prêmios
É importante fazer com que o panelista sinta orgulho de pertencer a comunidade e até convide os seus amigos...

5 - O que os painelistas ganham pela participação? Os incentivos são diferenciados por pesquisa?

  • Os painelistas acumulam pontos que podem ser trocados por produtos , vale-compras em lojas conveniadas ou doações.
  • Algumas pesquisas podem oferecer incentivos diferenciados em função de um tema menos envolvente ou alguma complexidade de resposta (sorteios de bens aspiracionais).
Como evitar profissionais em responder pesquisas?
  • Limitando o número de pesquisas por mês = 2
  • Limitando pesquisas com o mesmo tema = 1 a cada 6 meses
  • Controle de emails para evitar duplicações de resposta
  • Controle de CPF vinculado a 1 email

6 - Como saber a taxa de resposta das pesquisas?

Como referência, sabemos que pesquisas realizadas em painéis de internautas obtêm taxas de resposta que variam entre 20 e 50%, dependendo do grau de envolvimento com tema, da duração e formato da pesquisa e do incentivo. Sabemos também que as taxas de mortalidade ficam em torno de 15% por ano, requerendo um trabalho contínuo de reposição.

  • As pesquisas “teasers” são um bom exemplo do grau de envolvimento dos painelistas: a pesquisa que realizamos recentemente sobre o Carnaval foi respondida por 1374 painelistas de um total enviado de 3000, em 3 dias de campo; a da Cracolândia obteve 1233 respostas de um total de 2600, em 3 dias também. Estas pesquisas são importantes para que os participantes expressem a sua opinião sobre temas relevantes em suas vidas e recebam de volta os resultados da pesquisa, na mídia, no site, etc...

7 - Podemos migrar um estudo offline para online?

É possível, mas diferenças serão inevitáveis!

  • O questionário deverá ser adaptado a web (linguagem, formato, duração), causando diferenças nos resultados. Aproveite para melhorar!
  • Haverá diferenças na amostra obtida (mesmo com uso listagens)

Se o projeto era realizado através de listagens telefônicas, o ideal, num primeiro momento, seria migrar para on line usando as mesmas listagens, atualizadas com emails.

Caso seja necessário comparar resultados offline x online, o ideal é fazer uma medida paralela. Esse investimento retornará nas medidas online subsequentes.

8 - Quais são os critérios de precificação?

  • Duração do questionário
  • Incidência da categoria
  • Incidência demográfica
  • Nível de complexidade do assunto
  • Prazo de campo

Estimativas incorretas, resultam em preços incorretos!

9 - Quando devemos fazer pesquisa online e quando não?

Atualmente a maioria dos estudos pode ser realizada online.
A internet está crescendo de forma acelerada e a maioria dos perfis de consumidores está presente na web.
Exceções:

  • Estudos que requerem amostras probabilísticas puras, representatividade nacional, incluindo zonas rurais e classes baixas (DE)
  • Estudos que apresentem questionários muito longos
  • Estudos que requeiram observação ou interação com o respondente

10 - Quais são as vantagens de um painel?

  • Linguagem atual
  • Computador é o meio atual de relacionamento
  • O respondente pode escolher quando e onde responder
  • Conhecimento prévio do panelista permitindo questionários mais curtos
  • Elevada taxa de resposta
  • Abrangência geográfica
  • Rapidez
  • Preço
  • Cada vez mais as pessoas têm receio de abrir a porta para estranhos
  • Aumento da rejeição às pesquisas telefônicas
  • pessoas não têm telefone fixo + proliferação de telefones móveis
  • Apresentação de estímulos (fotos, vídeos, etc.)
  • Não interferência de entrevistadores e diferentes formas de formalizar as perguntas
  • Aumento do número de estudos de perfis difíceis ou de baixa incidência

Sua vez de perguntar


Mitos

"O internauta tem perfil de consumo diferente daquele que não tem internet!"

  • Há muitos fatores – tanto offline quanto online – que influenciam as decisões de uma pessoa. O consumo das pessoas não muda porque adquirem um bem. O acesso a informação da internet pode, este sim, causar mudanças e isso faz parte do mundo real. Outros parâmetros como classe social e região tem influencia muito mais forte nas decisões de compra, atitudes e preferencias de uma pessoa.

"O internauta que responde pesquisa tem um perfil atitudinal diferente daqueles que não respondem"

  • Será que as pessoas que conseguimos entrevistar por telefone têm um perfil diferente daquelas que não conseguimos?

As pessoas mentem pela internet

  • Talvez o anonimato permita mentiras mas o contrário também é provável: uma pessoa que tenha seu anonimato garantido pode proporcionar informação mais fidedigna e verídica
  • Há indícios de que a abordagem de temas mais delicados é mais fácil através das pesquisas online. Também há indícios que as intenções de compra são mais realistas!

Na internet só tem jovens, homens e classe alta!!

  • Foi assim mesmo que começou! Hoje, 49% são mulheres, 22% têm mais de 50 anos e 51% são de classe C. Ainda faltam as classes DE!

As pessoas não respondem pesquisas online com mais de 5 minutos

  • Pesquisas curtas são mais atraentes, é um fato! Mas tudo depende da comunicação com painelista, do formato e estrutura da pesquisa e do incentivo
  • As melhores práticas globais indicam 10-15 minutos como uma boa média, sendo o máximo 20-25 minutos. Pesquisas mais cumpridas podem ser feitos online, porem não é recomendável ultrapassar uma duração de 25 minutos.

Em um painel, são sempre as mesmas pessoas que respondem

  • O número de pesquisas respondidas é controlado assim como os temas: são apenas 2 pesquisas por mês e com temas diferentes.
  • Por outro lado, há vantagens de monitorar o histórico de consumo de uma mesma pessoa (trackings, migrações, etc.)
Portuguese, Brazil

Receba nossas notícias

Go to top